sábado, 19 de agosto de 2017

Menos 10 reais



O desgoverno do Temer anda tirando financeiramente de quem não tem. No entanto, o salário mínimo previsto para janeiro de 2018, tinha o valor de R$ 979. Porém, Temer e sua turma malvada, tiraram R$ 10, reduzindo o salário mínimo de 2018, para o misero valor de R$ 969.Pode isso?  

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Poderes legislativo e judiciário da Bahia


PAULO ROBERTO
Da Redação


Para ser justo, o governo tem razão. Os poderes legislativo e judiciário do Estado da Bahia incluem-se entre os mais caros do Brasil, e não é, proporcionalmente, o mais caro.


Governo – Mas, que pode fazer o governo, se a legalidade o obriga a ceder aos apetites desses dois poderes absolutos quase? No fim das contas, o povo é a grande vítima. O Estado é deles.


Intervenção – A situação deste país, insisto em dizer, pode ser vista como caso de absoluta necessidade de intervenção militar. De outro jeito, não se muda a face cruel deste país. Destruir para construir.

Quando será que Canavieiras vai ter Matadouro Público?

Em Canavieiras, há mais de 70 anos os moradores consomem “carne de moita”, cuja origem resulta do abate clandestino de animais.Segundo informações, diariamente, são abatidos de forma clandestina diversos bovinos e outros animais sem nenhum controle de saúde, de forma cruel e em precárias condições.Há sérios riscos de transmissão de doenças para a população. O abate clandestino de animais representa riscos ao consumidor, pela ingestão de alimentos de qualidade sanitária suspeita, além de gerar a contaminação do meio ambiente. A carne pode ser considerada clandestina quando não é realizada a fiscalização pelo serviço de inspeção sanitária. O fornecimento de carne não inspecionada prejudica o controle de zoonoses e a segurança alimentar, além de causar uma série de doenças como toxoplasmose, teníase, cisticercose, brucelose e tuberculose. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, pela Lei 8.137, a comercialização de produtos impróprios para consumo é crime, com pena de detenção de até cinco anos ou multa.

STF deve abrir inquérito contra Robinson e Fábio



Alvo de uma operação por desvios na Assembleia Legislativa do RN, o governador Robinson Faria (PSD) tem outra dor de cabeça — talvez maior — com a Polícia Federal.

O Supremo Tribunal Federal (STF) deverá atender em breve o pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para abrir inquérito contra o governador e seu filho, o deputado federal Fabio Faria (PSD).

Os dois foram implicados na delação premiada do ex-executivo da JBS Ricardo Saud, segundo quem foram repassados 10 milhões de reais em troca do contrato de privatização da Companhia de Água e Esgoto do estado.

As delações da JBS estão nas mãos do ministro Edson Fachin, mas a tendência é que o caso seja redistribuído por não ter ligação umbilical com a Lava Jato.(Do Blog de Silvio Navarro no site da Veja)

MPF denuncia ex-ministro Geddel Vieira Lima por obstrução de Justiça

O Ministério Público apresentou à Justiça Federal em Brasília uma denúncia contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) por obstrução de Justiça. A acusação tem como base uma suposta tentativa de impedir a celebração de um acordo de delação premiada do operador financeiro Lúcio Bolonha Funaro, apontado como parceiro do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) em vários esquemas de propina. Em outra frente, o MPF também apresentou à Justiça uma ação de improbidade administrativa contra Geddel, a qual aponta suposta pressão sobre o ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, para liberar a construção de um prédio de luxo em área histórica de Salvador. O episódio, revelado no fim do ano passado, acabou por levar Geddel a pedir demissão da Secretaria de Governo, cargo de primeiro escalão ligado ao presidente Michel Temer.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

PT de Canavieiras já pensa em 2018? Ah, esses políticos!!!

200

 

 

PAULO ROBERTO
Da Redação 

 

Quando eles se reúnem é geralmente para tratar dos seus interesses próprios, reeleição, essas coisas, nunca para discutir os interesses do município. 

 

De modo que os graves problemas, locais, vão sempre sendo empurrados para nunca como está no caso a saúde pública, por exemplo. Não se cuida disso. 

 

E o que é danado é que o povo não tem olhos para esse comportamento egoísta desses políticos, para dar-lhes a resposta no momento oportuno. E segue elegendo esse povo, uma eleição atrás da outra. É o apocalipse. 

 

Como já escrevi aqui antes, os acordos entre esses políticos nunca são em nome das carências e necessidades do povo, e sim à base ampla dos interesses pessoais. O povo que se lixe. 

 

Não se tem notícias de que eles, esses políticos, se reúnem a tratar das grandes necessidades do grande povo, que, devem pensar assim, só servem para votar e pagar imposto. 

 

Já é tempo de o povo atentar para as manobras desses velhos políticos, sempre em redor dos seus interesses individuais. Tudo pelo viés de negociatas indecentes, digamos logo a palavra de uma vez.

Língua Portuguesa

Nenhum texto alternativo automático disponível.

AFIM DE/AFIM. A leitora quer saber como se devem usar essas expressões. Diz ter grande dificuldade. Muito simples. “Afim de” é invariável e significa “com a finalidade”: O povo não se une a fim de mudar o regime vigente no país. Alterna-se com “para”.Aliás, na linguagem do jornal, “para” tem a preferência, por ser a expressão mais curta. “Afim” significa afinidade: projetos afins. É variável em número. Viu aí? Não há dificuldade nenhuma.(Paulo Roberto - jornalista e professor)

A vergonha do salário mínimo brasileiro

charge2011-salario


PAULO ROBERTO
Da Redação


O governo baixou em R$ 10, de R$ 979 para R$ 969, a previsão para o salário mínimo em 2018.A redução, se confirmada, deve gerar uma economia de R$ 3 bilhões ao governo no ano que vem. Atualmente, o salário mínimo está em R$ 937.


Por que não se concede ao trabalhador de salário mínimo, ou pouco mais disso, o auxílio alimentação concedido aos que ganham o suficiente, ou muito, além disso?


Mas deputado, que não serve para nada de útil a sociedade recebe até auxílio-moradia, como se deputado não tivesse casa própria ou não pudesse pagar aluguel.


Ao lado disso, mandam para a cucuia os direitos sociais instituídos na Constituição Federal. Aquele cidadão do povo tem toda razão – o Brasil é mesmo um país inconstitucional.

'Ainda tem' o que entregar sobre Michel Temer em delação, diz Funaro

'Ainda tem' o que entregar sobre Michel Temer em delação, diz Funaro: Corretor é réu em uma ação na Justiça Federal em Brasília sob acusação de envolvimento em desvios no fundo de investimentos do FGTS
O corretor de valores Lúcio Bolonha Funaro, preso na Papuda, em Brasília, disse nesta última quarta (16) que "ainda tem" o que entregar sobre o presidente Michel Temer caso feche um acordo de delação premiada com a PGR (Procuradoria-Geral da República).

Réu em uma ação na Justiça Federal em Brasília sob acusação de envolvimento em desvios no fundo de investimentos do FGTS, Funaro acompanhou uma audiência do processo.

Ao sair, escoltado, o corretor foi abordado por jornalistas que perguntaram sobre se ainda tem o que entregar aos procuradores envolvendo o presidente. "Ainda tem", respondeu, ao entrar no elevador do prédio da Justiça Federal.

Funaro não deu detalhes sobre o acordo de colaboração que negocia. Disse apenas que há "uma diferença muito grande" entre o que a PGR ofereceu como benefícios e o que ele desejava obter.

Por essa razão, segundo ele, o acordo estaria longe de ser fechado. Questionado sobre o conteúdo, Funaro disse que não poderia comentar. Com informações da Folhapress.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Canavieiras registra dois assassinatos em menos de 3 dias

homicidios

Em Canavieiras a criminalidade está insuportável, quase todos os dias acontecem crimes, roubos, assaltos, execuções. Ontem (15), mais um homem conhecido por “João Carteira” foi morto a tiros. Este foi o segundo homicídio registrado na cidade em menos de três dias. No último sábado (12), Clemente Araújo dos Santos, conhecido como “Neto Dentista”, também foi morto a tiros.População vive sob pânico; medo de ir e vir, ficar à calçada, sair ou entrar em casa. A gente lamenta muito que a nossa cidade esteja chegando a esse nível de falta de segurança. Eu apelo aos políticos que olhem com atenção para os moradores de Canavieiras!

Vergonha Municipal

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
Você consegue caminhar nas calçadas da Rua da Feira em Canavieiras, sem topar em alguma mercadoria? Impossível. O camelódromo tomou conta desde sempre, sem que o Poder Público tenha, até aqui, encontrado uma solução definitiva para o problema.

A invasão de pequenos comerciantes em calçadas, praças e avenidas, principalmente no centro da cidade, se arrasta desde a década de noventa. Começou com os feirantes montando as suas barracas ao redor do Mercado Público “Avenida José Marcelino”.

O fato é que a situação é delicada. Os camelôs estão errados porque prejudicam o trânsito de veículos e pedestres, no entanto são pais de família que tiram o sustento da atividade.

Tirá-los das ruas ou das calçadas, sem ter onde colocá-los, transfere o problema da mobilidade para uma questão social insustentável.

É preciso encontrar a melhor solução; por isso, a necessidade de retomar o debate. Não é possível conviver com um cenário tão negativo. O prefeito Roberto Almeida tem consciência e conhece bem a situação, devendo partir do gestor público a iniciativa de buscar um projeto definitivo para os camelôs e pequenos comerciantes do centro da cidade.

Opinião... "O direito de ir e vir começa na porta da nossa casa. A livre circulação de pessoas é garantida por legislações federal, estadual e municipal. E, para que essa locomoção ocorra de forma segura, é necessário garantir o cumprimento não apenas das normas de trânsito, mas também daquelas relacionadas ao fluxo de pedestres”. As calçadas, que chamamos formalmente de passeios destinados ao uso público, têm uma única função: possibilitar que os cidadãos possam ir e vir com liberdade, autonomia e, principalmente, segurança. Uma cidade que privilegia a acessibilidade de circulação garante um direito previsto pela Constituição brasileira. Cabe ao poder público municipal fiscalizar e estabelecer normas para que as pessoas tenham a locomoção assegurada.

Sem comentário: Política é a arte de engolir sapos

Resultado de imagem para ALMIR MELO, LUCIO VIEIRA LIMA, GEDDEL E ALMIR MELO JR

Reforma política começa a ser votada em plenário


Nesta quarta-feira (16), após acordo com líderes, a reforma política será votada no plenário da Casa. 

Como se trata de emenda à Constituição, necessita de pelo menos 308 votos do total de 513 deputados para ser aprovada.

Distritão - A comissão aprovou na última semana o texto base do relator, mas incluíram na proposta o voto majoritário, conhecido como distritão. 

Pela proposta, ganha o candidato que receber mais votos. O novo modelo valeria para as eleições de 2018 e 2020, como uma transição para a adoção do voto distrital misto em 2022. 

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Governador anuncia concurso para Educação com 3,4 mil vagas

Rui atendeu professores na Governadoria nesta segunda-feira - Foto: Carol Garcia l Gov-BA
O governador Rui Costa anunciou nesta última segunda-feira (14) a realização de um concurso com 3,4 mil vagas para professores em todo o estado. Serão 2.796 vagas para professores e 664 para coordenadores pedagógicos, distribuídas para 365 cidades baianas. A decisão atende o pleito do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Bahia (APLB), que também teve atendido o pedido de aumento para 70% no percentual de gratificação por Condições Especiais de Trabalho de todos os diretores escolares.(AGB)

Violência no Brasil

 

 

PAULO ROBERTO
Da Redação

 

Já aparenta ser assunto não comentável a violência urbana, a não ser no noticiário da televisão. Da parte das autoridades, então, nem se fala mais nisso. Assunto encerrado, parece.

 

Defesa – E o que é mais grave, a própria sociedade nega à entidade policial o direito de defesa na sua missão de protegê-la contra o crime. Não pode haver maior incoerência, se deduz.

 

Solução – Volto a dizer a solução do problema não está no aumento do efetivo policial, ou qualquer outra coisa, senão que na feitura de uma legislação criminal rigorosa, sem o facilitário processual.